quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

As consequências mortais que um voo para a Lua tem para o corpo humano


A poeira lunar causa danos extremos aos tecidos e pode até causar mutações genéticas ou cancro.

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Stony Brook (Estado de Nova York, EUA) apresentou na semana passada seu recente estudo em que foi determinado que a poeira lunar é extremamente perigosa para o corpo humano e pode danificar DNA das células, causando mutações e o cancro.

"É um grave problema de saúde para os futuros astronautas", disse Donald Hendrix, um dos autores do estudo, citado pela revista New Scientist.

O perigo a longo prazo

Como parte da sua investigação, os cientistas examinaram solo simulado, composto das mesmas partículas de amostras de rocha lunar trazidas pelas missões Apollo NASA

A experiência mostrou que cerca de 90% das células do pulmão de ratinhos de laboratório neurónios humanos morreram quando expostas ao contacto com as partículas que formam a camada de pó da Lua.

Segundo o estudo, a poeira encontrada na superfície do satélite natural da Terra contém alguns elementos que reagem rapidamente com células humanas e produzem hidroxila tóxica, que já foi ligada ao cancro de pulmão .

"A poeira lunar representa um dos riscos que os seres humanos terão de enfrentar na realização de missões na sua superfície", diz uma declaração sobre os resultados da pesquisa, publicada no site da reunião da American Geophysical Union em que o estudo foi apresentado. 

Especialistas dizem que partículas perigosas podem permanecer nos pulmões humanos " por longos períodos de tempo " e, portanto, podem causar consequências negativas a longo prazo para a saúde.

A experiência da missão Apollo 17

Nesse contexto, a principal autora do estudo, a geneticista Rachel Caston, disse ao site da universidade que as futuras missões tripuladas para explorar a Lua e "além" representam riscos à saúde dos astronautas, que são ainda mais sérios ". os riscos imediatos do próprio espaço ". Eles seriam da mesma natureza que aqueles experimentados pela tripulação da missão Apollo 17.

Depois de inalar a poeira fina durante sua viagem à Lua em 1972, o astronauta Harrison Schmitt catalogou a reacção do seu organismo como " febre do feno lunar ": ele tinha espirros, olhos lacrimejastes e dor de garganta. 

Os sintomas dessa tripulação foram efémeros, mas os pesquisadores admitem que o pó da lua poderia causar até mesmo mutações genéticas.

Fonte: RT

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...