sexta-feira, 21 de julho de 2017

Roscosmos mostra imagem detalhada do iceberg 'recém-nascido'

Resultado de imagem para iceberg

A corporação espacial russa Roscosmos publicou novas imagens tiradas pelo satélite Resurs-P que mostram a enorme placa de gelo que se desprendeu do glaciar Larsen na Antárctida.

O novo iceberg, cuja área é de mais de 6.000 quilómetros quadrados, pode entrar na lista dos dez maiores icebergs já documentados, informa o comunicado da entidade.

Iceberg desprendido do glaciar Larsen

As plataformas de gelo rodeiam cerca de 75% das costas da Antárctida. Estes glaciares são enormes placas flutuantes ligados com as massas de terra. Larsen está localizado na costa nordeste da península Antárctica, no mar de Weddell.

Segundo alguns especialistas, a mudança climática faz com que as plataformas de gelo se tornem mais susceptíveis ao desprendimento. Não obstante, esta teoria ainda não foi provada.

Ler mais AQUI

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Papa Francisco, relacionamentos com Jesus são perigosos


O Papa Francisco disse a uma multidão de 33 mil católicos em Roma que "um relacionamento pessoal, directo e imediato com Jesus Cristo" deve ser evitado a todo custo, suscitando temores de que ele é um papa ilegítimo com uma agenda sinistra.

Segundo as suas palavras, "... são dicotomias absurdas." 

Basta ver o vídeo e compreende-se qual a "agenda"... de um dos membros dos Illuminati da Baviera.

Ler mais AQUI

DAE, a secreta tropa de elite portuguesa

Resultado de imagem para DAE, a secreta tropa de elite portuguesa

Em abril, a Polícia Judiciária (PJ) apreendeu duas toneladas de haxixe numa embarcação de pesca ao largo do Algarve. O barco suspeito foi seguido pela Marinha e pela Força Aérea, mas a abordagem esteve a cargo do DAE, o Destacamento de Ações Especiais, uma unidade de elite da Armada, rodeada de secretismo, que deu os primeiros passos em 1985. E embora seja uma força militar, o DAE está preparado para operar em apoio das investigações da PJ, em particular no combate ao tráfico, não apenas na abordagem de embarcações como na vigilância de ações suspeitas para recolha de informações. 

É uma flexibilidade que deriva do "know how" ganho em anos a fio de operações militares, com capacidades que vão desde o combate ao terrorismo às ações encobertas. E quantos são? “Entre 30 e 100”, respondem com um sorriso, numa nebulosa simpatia que se estende aos pormenores das ações reais. 

O JN foi descobrir o DAE e mostra o que é possível mostrar, em imagens que pela primeira vez chegam ao grande público. O resto é “classificado”.

Resultado de imagem para DAE, a secreta tropa de elite portuguesa

Formação

Integrado no Corpo de Fuzileiros, é ponto assente que para o DAE só entram militares profissionais, ou seja, que fazem parte do Quadro Permanente da Armada. 

Naquela unidade de operações especiais não existe, pois, o conceito de voluntário e contratado, que ao fim de determinado tempo pode regressar à vida civil. 

No DAE quem entra pode sair, mas é mantido no quadro permanente, porque, afinal, são homens que sabem sempre demais: os pormenores das operações, sobre explosivos e sobre os tipos de armas. 

A arma orgânica é a HK G-36, mas são igualmente preparados para operar, por exemplo, com uma AK-74, ou com qualquer tipo de arma a que tenham acesso. E, quanto a explosivos, sabem inativar um engenho, mas também construir outro recorrendo a meios e produtos de recurso. 
É uma instrução feita em 18 semanas, mas onde só chegam ao fim entre cinco a dez por cento dos candidatos. A formação envolve 21 matérias, tantas quanto a flexibilidade de emprego que é exigida aos DAE, e que reflete a necessidade de adaptação aos distintos cenários de operações. 

São treinados para sair de um submarino em imersão, assim como para saltar de um avião, em salto automático ou manual - e para um espaço terrestre ou aquático. 
Escalada e salvamento integram igualmente a formação, onde é de destacar o socorrismo avançado, ditado pela necessidade de garantir a sobrevivência em ambientes de quase total isolamento.














Missões

Saber onde esteve o DAE e em que missões sabe-se alguma coisa, ou pelo menos aquilo que Estado deixa que se saiba. O que fizeram concretamente e em que circunstâncias fica no segredo de alguns deuses. 

A primeira missão conhecida foi na Guiné-Bissau, na operação “Crocodilo”, em 1998, quando uma força anfíbia portuguesa foi resgatar os refugiados, na sequência do conflito entre o Governo local e os rebeldes. A seguir veio Timor, em 2004, mas uma das mais importantes foi no Congo, em 2006, no âmbito de uma força da Eurofor, durante as eleições naquele país. O DAE estava integrado numa estrutura de operações especiais, onde também participavam a França e a Suécia, e uma das missões era o patrulhamento, no sentido de garantir a calma no processo eleitoral. 

O Afeganistão veio a seguir, em 2013, mas onde o DAE não participou enquanto força constituída, mas com vários elementos para lá destacados, tal como na atual missão no Mali. 

E, no entretanto, estiveram numa miríade de ações a bordo dos navios da Armada, em operações da NATO de natureza antiterrorista, em particular no Mediterrâneo. Isto além das missões em apoio à Polícia Judiciária e à Polícia Marítima, quer na abordagem de embarcações suspeitas, quer na vigilância de eventuais locais de desembarque de droga ou de outras atividades ilícitas, em conjugação com a Força Aérea. E mesmo aqui num cenário onde a possibilidade de haver reféns é equacionada, uma das outras ações do DAE.

Resultado de imagem para DAE, a secreta tropa de elite portuguesa

Perfil

Entrar no DAE não é para todos, de facto, mas não porque é preciso ser-se um superhomem ou estar na juventude plena. 

Bem pelo contrário, a quase totalidade dos seus elementos tem idade bem superior aos 30 anos, homens maduros com capacidade para pensar por si próprios e avaliar os riscos, sem cair em aventuras e excessos. E o que mais lhes é exigido é concentração e calma, confiando que o homem que está a seu lado pensa e age da mesma maneira. 

É algo que fica claro no treino de tiro com fogo cruzado a que o JN assistiu. Duas linhas de operações especiais que avançam uma para a outra, disparando munições reais com as pistolas-metralhadoras para o alvo, que surge, ao fundo, entre dois camaradas, que fazem exatamente o mesmo. 
Se assim já é difícil, muito mais se torna quando o carregador fica vazio e o militar puxa da pistola Glock 17. E sabe-se o quanto é fácil falhar no tiro de arma de mão. Mas no DAE não pode haver falhas. Talvez por isso seja afirmado que só ao fim de cinco anos, em média, um homem do DAE seja considerado “pronto”.

Cooperação

Cooperar com forças congéneres é essencial para este tipo de forças, uma vez que as operações conjuntas são sempre de prever. 

Exercícios com os SEALS norte-americanos são comuns, assim como com as forças especiais polacas, o GROM. 

Mas o trabalho conjunto apenas parcialmente significa troca de experiências, porque, no mundo das operações especiais, cada um guarda para si aquilo que considera mais relevante.

Resultado de imagem para DAE, a secreta tropa de elite portuguesa

E as famílias?

Falar do trabalho do pai é normal para qualquer criança. Mas não para o filho de um elemento do DAE. 

Quanto muito, poderá dizer que o pai é militar e fuzileiro, mas não pode ir mais além. Na verdade, nunca poderá vir a saber o que ele realmente faz.

E se a vida militar impõe um conjunto de restrições, no caso de um DAE a limitação é total. A própria mulher do militar também está condicionada. 

Sabe que o marido está no DAE, mas não pode dizer a ninguém. E ele e o marido apenas pode informar que, por exemplo, vai estar uns dias ausente, mas nunca dizer para onde ou o que vai fazer ou quando regressa. E mesmo quando acaba a missão mantém-se o mesmo muro de silêncio. 

Afinal, um DAE não é apenas um operacional. Pelas suas mãos passam não apenas o planeamento de uma ação, mas também relatórios e dados com origem nos serviços de informações militares e civis, portugueses e estrangeiros. 

Ao ingressar nesta força transforma-se também num alvo – que pode ser extensível também à sua família. O segredo é tudo!

Ler mais e ver os videos AQUI

Gigantesca 'nave-mãe' extraterrestre aproxima-se da EEI

Um extraterrestre

Foi divulgado um vídeo de um objecto, considerado por ovnilogos de renome como "nave-mãe" extraterrestre – a embarcação gigantesca foi captada durante transmissão ao vivo da NASA da região espacial ao redor da Estação Espacial Internacional.

Fãs dos extraterrestres, Blake e Brett Cousins, conhecidos na comunidade de ovnilogos pela sua página no YouTube thirdphaseofmoon, publicaram a gravação chocante no dia 17 de julho.

No vídeo, um objecto indefinido, aparece ao fundo da EEI. Primeiro parecido com apenas duas esferas brilhantes, o objecto ganha forma e contornos, sendo muito parecido a uma nave espacial de exploração.

No entanto, logo que o objecto toma sua forma, desaparece na escuridão infinita do espaço.

O casal pediu ajuda a um aficionado por OVNIs para esclarecer o que poderia ser esta nave, que, segundo eles, estava "monitorizando" a estação.

"Primeiro, quando estava olhando para ela, não sabia exactamente o que estava vendo, mas quando o vídeo avança, você começa a ver as coisas mudando… dá para ver dois pontos laranjas ao redor dela, especialmente um acima da estação, como se a luz estivesse vindo da EEI. No fim do vídeo, a coisa inteira se reduz um pouco. Poderia ser uma nave-mãe gigante, sendo aqueles dois pontos laranja duas naves de excursão, que sempre nos visitam", disse o especialista.

Ele também explicou que os "discos", vistos geralmente por seres humanos na terra, são na verdade "pequenas naves escoteiras", que são lançadas por naves-mães, como aquela captada no vídeo.

O vídeo ganhou mais de 40.000 visualizações em apenas dois dias desde a data de publicação (17 de julho); há muitos comentários de pessoas tentando explicar o que poderia ser este objecto.

Num deles diz que a coisa vista é uma "nave-mãe interestrelar" monitorizando actividades da NASA. Alguns acrescentaram que a NASA esconde a verdade sobre extraterrestres desde seu primeiro encontro com OVNIs.

"Claramente somos ou um planeta protegido como uma reserva natural ou estamos sendo protegidos ou governados por outra raça alheia […] extraterrestres provavelmente nos visitam para observar, mas possuem um acordo de não entrar em contacto connosco. Talvez eles digam ‘pobres seres humanos são escravos, se pudéssemos contar tudo para eles!' […] ‘Nossos governos não permitirão que digamos oi para os terráqueos, isso para que não fiquem chocadas por não poderem falar connosco', é como se a Terra fosse governada por Kim Jong-il", escreveu um dos comentaristas.

No entanto, outros usuários fora mais sépticos, afirmando que a gravação mostra uma tempestade na camada mais alta da atmosfera da Terra.

Objectos estranhos perto da EEI são fenómenos comuns e já foram detectados centenas de vezes. Porém, apesar destes incidentes serem regulares, a NASA e outras agências, que operam na EEI, evitam responder às afirmações dos ovnilogos e negam terem encontrado extraterrestres.

Ler mais AQUI

terça-feira, 18 de julho de 2017

Antepassados dos mamíferos começaram a ter sangue quente há 300 milhões de anos

Resultado de imagem para Antepassados dos mamíferos começaram a ter sangue quente há 300 milhões de anos

Os antepassados dos atuais mamíferos começaram a ter sangue quente no período Permiano superior, entre 352 milhões a 259 milhões de anos atrás.

O momento em que os mamíferos passaram a ter sangue quente tem sido motivo de debate mas um grupo internacional de cientistas assegura ter identificado um período concreto, após análises de datação em 90 fósseis, diz-se num comunicado do Centro Nacional de Investigação Científica francês.

O facto de as espécies passarem a ter sangue quente favoreceu a sobrevivência durante a extinção registada no período Pérmico-Triássico, há 252 milhões de anos, segundo o estudo, que é publicado hoje na revista eLife.

Hoje apenas as aves e os mamíferos são capazes de produzir o seu próprio calor corporal e manter uma temperatura elevada constante.

A combinação das duas faculdades apareceu primeiro num grupo dos répteis terapsídeos, da classe dos sinápsidos. Há 270 milhões a 252 milhões esse grupo, os cinodontes, diferenciou-se dos restantes grupos e deu origem aos mamíferos, afirma-se no comunicado.

Os investigadores reuniram 90 fósseis descobertos na África do Sul, Lesoto, Marrocos e China, dos quais 63 terapsídeos e 22 espécies diferentes, para estudar a composição de isótopos de oxigénio.

Partindo do princípio que há isótopos que se incorporam de forma diferente nos ossos e nos dentes em função do metabolismo do animal (se tem sangue frio ou quente por exemplo), os estudos mostraram diferenças de composição isotópica. E indicaram que oito espécies da família dos terapsídios tinham sangue quente alguns milhões de anos antes da extinção do período Pérmico-Triássico.

Os cinodontes foram uma das espécies que sobreviveram à extinção (quando morreram 75% das espécies na Terra) e a chave para resistir às grandes alterações climáticas poderá estar relacionada com o sangue quente.

Fonte: AO

Brasil guarda um dos melhores registos do asteroide que pôs fim aos dinossauros

Asteroide (ilustração)

O meteoro que há 65 milhões de anos acabou com a era dos dinossauros na Terra, caiu na cidade península de Yucatán, no México, e deixou registos do fenómeno no Brasil, em Pernambuco. A paleontóloga Alcina Barreto falou com exclusividade à Sputnik Brasil e comentou sobre os segredos desse importante evento na história da Terra.

A paleontóloga Alcina Barreto, professora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), conversou com a Sputnik Brasil e explicou a natureza do registo do meteoro em terras brasileiras. 

De acordo com ela, "não há fragmentos do impacto, o que há são evidências do impacto do meteoro que caiu".

"Evidências do tipo geoquímicas, evidências mineralógicas, evidências nas estruturas dos estados fragmentários, mas que se depositaram nessa época. Não é que um fragmento desse meteoro tenha sido conservado aqui", disse a especialista. 

Na ocasião, os fragmentos do meteoro teriam sido lançados na atmosfera e caído em diversas partes da Terra. A professora Alcina Barreto explicou que essas evidências são encontradas em diversas partes do mundo hoje em rochas sedimentares depositadas nessa época. 

Os resquícios do megatsunami causado pelo impacto do asteroide chegaram ao Nordeste brasileiro e ficam localizados no geossítio Mina da Poty. 

A paleontóloga explica que "um geossítio é uma área geográfica em que ficou registado algum evento importante da história da Terra e que precisa ser conservado, preservado, estudado, compreendido e mantido para que as gerações futuras também tenham essa informação".

"Nós temos aqui exposições de rocha que mostram muito bem esse momento do impacto do meteoro. E ele está localizado no município de Paulista, aqui em Pernambuco. Essa exposição aparece numa mineração de calcários. E é a melhor exposição de diferentes períodos geológicos que marcam não só os períodos, mas que marcam eras geológicas diferentes", destacou. 

"Essas exposições de rocha aqui em Pernambuco são conhecidas com uma das melhores exposições da América do Sul desse registo desse fenómeno que aconteceu na história da Terra e que fica registado nas rochas", acrescenta Alcina Barreto.

A paleontóloga também informou que o geossítio Mina da Poty será aberto para a visitas do público a partir de novembro.

Ler mais AQUI

ESTUDO DE LOS ALAMOS DESCOBRE QUE OS SCANNERS DOS AEROPORTOS PODEM EXTRAIR E ALTERAR O ADN


Podemos acreditar no que nosso governo nos informa sobre os dispositivos de segurança dos aeroportos?

Aparentemente não. Primeiro disseram-nos que os scanners de raios-X (que mostravam muitas partes do corpo nu) eram perfeitamente seguros.

Mesmo o fabricante do dispositivo, Rapidscan, admitiu abertamente que os scanners não tinham sido devidamente testados. A verdade foi revelada mais tarde que os testes de segurança acabaram sendo totalmente manipulados, conforme relatado pela Natural News.

Com os resultados fabricados, a tecnologia foi rapidamente apressada em todos os aeroportos de todo o mundo. Ninguém ouviu o que os cientistas no campo da radiação estavam tentando dizer - não é seguro.

Não foi até que os níveis de radiação de retrocesso que os scanners adulassem começaram a mostrar uma maior incidência de cancro nos agentes TSA (juntamente com os processos que seguiram rapidamente), que os dispositivos foram finalmente substituídos. O TSA rapidamente arrumou por outra solução.

Agora, eles também querem que acreditemos que a tecnologia de substituição, scanners de "busca de tira digital" de onda milimétrica também são "perfeitamente seguros".

Não acredite por um segundo. A TSA não conseguiu testar adequadamente esses dispositivos para factores de saúde e segurança também. Infelizmente, no mundo de hoje, a segurança supera a segurança humana.

Essas tecnologias de ondas milimétricas são projectadas para bombardear viajantes inocentes com partículas de energia de alta frequência conhecidas como fotões de terahertz.

Um estudo conduzido por Boian S. Alexandrov et.al. No Centro de Estudos Não-Lineares do Laboratório Nacional de Los Alamos no Novo México, revelou que essas ondas terahertz poderiam "... descompactar ADN de cadeia dupla, criando bolhas que poderiam interferir significativamente em processos como a expressão génica e a replicação do ADN".

Scanner-600x450

Em outras palavras, este estudo é a arma fumegante que suscita sérias preocupações sobre o impacto da radiação terahertz na fertilidade, desenvolvimento fetal e cancro.

Agora pense nos milhares de pessoas que estão sujeitas a esses níveis de partículas de energia não testadas todos os dias em nome da "Segurança Nacional".

A arma de negação activa dos militares usa tecnologia de onda milimétrica para criar uma intensa sensação de queimadura na superfície da pele usando um feixe de 95 GHz (3,2 mm de comprimento de onda).

Ler mais AQUI

Ex-funcionário da NASA: Extraterrestres estacionam aparelhos nos anéis de Saturno

Sombra nos anéis de Saturno, capturada pela sonda espacial Cassini

Os extraterrestres encontraram um meio para esconder suas naves espaciais da humanidade: eles escondem-se nos anéis de Saturno, afirma o ex-funcionário da NASA Norman Bergrun, comunica o Express.

Segundo a informação do portal Express, o cientista acrescentou que a frota dos extraterrestres está aumentando. Vários aparelhos já chegaram aos anéis de Úrano e Júpiter, comunica o Express

"O que descobriu é que estas coisas povoam Saturno, é o lugar onde vi elas pela primeira vez, e eles estão proliferando. Você pode os descobrir em torno de Úrano e Júpiter", acrescentou Bergrun ao Express.

Os novos anéis em torno de planetas, de acordo com Bergrun, são formados por extraterrestes. De acordo com ele, em breve os extraterrestres não terão lugar para o estacionamento e podem passar para atividades concretas.

A hipótese sensacional de Norman Bergrun foi apoiada pela comunidade de ovnilogos. De acordo com eles, o ex-funcionário da NASA revelou um dos maiores segredos da agência espacial.

#NASA Engineer Norman Bergrun Warns That ‘Living Alien: http://www.mambolook.com/planets/saturn , http://www.mambolook.com/link/10930320

​Vários especialistas já comunicaram que tinham pessoalmente visto o deslocamento de naves extraterrestres perto dos anéis de Saturno.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Surpreendente: Múmia milenar banhada em ouro tem os órgãos em excelente estado

Surpreendente: mamã antiga banhado em ouro tem órgãos em excelente estado (VIDEO)

O corpo foi banhado em ouro no ano passado em Dinghui (Hebei) templo, onde permaneceu desde 2011. No entanto, os instrutores do templo dizem Ci Xian poderia ser transferido para outro lugar sagrado.

Na semana passada, na província de Hebei, norte da China, um grupo de médicos examinaram os restos mumificados de um mestre budista coberta de ouro. Uma tomografia computorizada revelou o estado incrível dos órgãos do mestre Ci Xian, acreditam que morreu à cerca de 1000 anos.

Wu Yongqing, um dos médicos responsáveis pela investigação, disse que os ossos "estão em excelentes condições, como uma pessoa saudável", enquanto o cérebro, maxilar superior, dentes, costelas, coluna vertebral e articulações, "se conservam completos" .

A mídia local disse que o "estado natural" de fibras de tecido muscular e conjuntivo é "muito surpreendente" e salientam que a análise de especialistas também tem valores culturais e religiosos de grande importância.

Youtube / 世間 奇聞

Segundo registos históricos, o sacerdote budista era originalmente da Índia e viajou para a China, com o objectivo de difundir a filosofia budista. Mais tarde, ele foi nomeado professor budista e depois de sua morte, seus discípulos preservaram o seu corpo. Na década de 1970 seus restos mortais foram descobertos dentro de uma caverna.

Seu corpo foi banhado em ouro no ano passado em Dinghui templo (Hebei), onde ele permaneceu desde 2011. No entanto, os instrutores do templo diz Ci Xian poderia ser transferido para outro lugar sagrado, que está sendo construído na montanha Xiangxiang, na província de Hunan.

Youtube / 世間 奇聞

Em 2015 cientistas holandeses descobriram uma múmia semelhante dentro de uma estátua de Buda que datam dos séculos XI ou XII. Os restos, que pertenciam ao budista mestre Liuquan, foram examinados com um varrimento da TC e ADN testado. Os resultados foram publicados numa monografia sobre sua vida.


Fonte: RT

Cristóvão Colombo era português? ADN de familiar do corsário de 500 anos, daria a resposta

Resultado de imagem para Cristovão Colombo

A teoria que aponta a origem genovesa do descobridor da América é novamente posta em causa, desta vez com "mais de 50 testes."

Houve muitas origens que têm sido atribuídos a Cristóvão Colombo - mallorquín, Catalão, Inglês, Norueguês, Croata e Português, entre outros, e o facto de que seu próprio filho, Hernando Colón não revelou na biografia que escreveu em que não fez nada, mas ampliou a aura do mistério.

Agora, um grupo de investigadores da Universidade de Coimbra e do Instituto Superior Técnico (IST) vai testar a teoria de que sugere que o descobridor da América na verdade nasceu em Portugal através de uma amostra de ADN de 500 anos , relata a EFE .

Um corsário Português com outro nome?

Esta hipótese foi formulada por Fernando Branco, o IST, no seu livro Cristóvão Colombo, Nobel Português'  publicado em 2012-, que inclui mais de cinquenta coincidências entre a vida do Almirante do Mar Oceano e Pedro Ataíde como ele conheceu um Português corsário do século XV.

Segundo a tese de Branco, Pedro Ataide foi dado como morto na batalha naval de Cabo de São Vicente em 1473, onde lutou com um corsário francês chamado Culon - e depois salvos e cheguem a nadar até à costa do Algarve, decidiu mudar seu nome Pedro Colombo (ou Culon) para a segurança (sua família foi perseguida em Portugal por participar de uma conspiração para matar o rei João II).

"Há um conjunto de evidências que sugerem que seu nome verdadeiro era Pedro Colón. Eu nunca escrevi seu nome como Cristóvão Colón . Ele assinou como um almirante ou uma assinatura criptografada em que pode ler várias coisas, incluindo 'Pedro Colón'" disse Branco.

É por isso que os pesquisadores irão testar se Colombo era realmente Pedro Ataíde por análise do ADN dos ossos do primo directo do corsário Português, em seguida, compará-lo com o ADN de seu filho Hernando (já sequenciado em 2006 em Espanha). No entanto, este processo só vai ser possível se os ossos de Ataíde primo estiverem em boas condições, e este número é desconhecido porque a sua sepultura nunca foi aberta. Espera-se que as autoridades portuguesas autorizem após o verão.

Fonte: RT

Astrónomos captam sinal anómalo de estrela próxima da Terra

Galáxia na constelação de Virgo, imagem tirada pelo telescópio Hubble

Os astrofísicos do observatório de Arecibo, em Porto Rico, detectaram sinais de rádio estranhos provenientes da estrela Ross 128, que fica a uma distância de 11 anos-luz da Terra na constelação da Virgem, informa o Rossiyskaya Gazeta.

Segundo comunicou o astrobiólogo Abel Méndez da Universidade de Arecibo ao Business Insider, os primeiros impulsos estranhos foram detectados em maio de 2017, comunica o Rossiyskaya Gazeta.

Os impulsos se repetiram após várias semanas.

"Durante uma observação de dez minutos foi detectado um sinal que se distingue, não só das emissões típicas de outras estrelas, mas que é único mesmo para a Ross 128. Anteriormente tínhamos detectado sinais de frequências mais altas", comunicou o astrónomo.

Os cientistas ainda não conseguiram detectar a origem desses sinais específicos. De acordo com Méndez, a versão de uma fonte extraterrestre existe, mas a Ross 128 é uma estrela anã vermelha, que de vez em quando incinera todo o espaço à volta dela.

Astronomers picked up radio signals from nearby star Ross 128. It's almost surely *not* aliens, but 'very peculiar.' http://phl.upr.edu/library/notes/ross128 

​De acordo com o astrónomo chefe do projecto SETI Seth Shostak, é mais provável que os impulsos estranhos tenham interferência terrestre.

"É assim na maioria dos casos. Agora existe apenas um sinal do espaço que possa ser enviado por extraterrestres – é o sinal Wow", acrescentou o cientista, adiantando que ele vai tentar estudar a emissão da Ross 128 usando o telescópio potente da Califórnia.

O grupo de astrónomos que trabalha no observatório de Arecibo planeia realizar mais estudos dos sinais estranhos cujos resultados podem ser conhecidos já em breve.

Ler mais AQUI

Mapa extraordinário: Antárctida sem gelo e habitada por extraterrestres?

Mapa do mundo, desenhado pelo almirante otomano Piri Reis em 1513.

Um mapa, desenhado em 1513 por um almirante turco, parece mostrar a costa da Antárctida sem gelo. Dezenas de teorias foram propostas para explicar o mistério do mapa de Piri Reis.

Haji Ahmed Muhiddin Piri era almirante da Marinha turca no século XVI, época em que viagens além do mar Mediterrâneo ou Negro não aconteciam.

Em 1513, ele elaborou um extraordinário mapa do mundo, desenhado em couro de gazela, posteriormente em papel comum.

Graças ao pelo de gazela, o mapa, conhecido como mapa de Piri Reis, resistiu a quatro séculos e foi descoberto em 1929 na biblioteca do famoso Palácio de Topkapi, em Istambul.

Gustav Deissmann, o teólogo alemão que o descobriu, ficou surpreso e admirado pela imagem detalhada do mundo conhecido naquele período, mas também ficou perplexo pelo desenho da Antárctida, representado pelo almirante.

@OttomanArchive 16th Century (1513)map by Piri Reis detailing the coastline of an ice free Antarctica

"O mapa, desenhado no século XVI por Piri Reis, mostra detalhadamente uma Antárctida sem gelo"

O mapa mostrava um continente sem gelo, enquanto todas as referências geográficas conhecidas indicam que a Antárctida é coberta por gelo há milhões de anos.

Para elaborar o seu próprio mapa, o almirante Piri teria usado 20 mapas e tabelas diferentes, entre eles o mapa desenhado pelo próprio Colombo e por navegantes portugueses que descobriram o Brasil.

No entanto, a costa da América do Sul, mais especificamente do sul do Rio de Janeiro de hoje, segundo o mapa de Piri Reis, foi desenhada mais a leste, tornando-se uma costa do Norte.

Alguns cartógrafos argumentaram que a costa é extremamente parecida com a Terra da Rainha Maud, que foi descoberta apenas em 1820. Ninguém pisou na costa até que em 1930, o navegador norueguês, Hjalmar Riiser-Larsen, desembarcou lá e nomeou o território em honra da mulher do então rei da Noruega, Haakon VII.

É engraçado, mas na época da Segunda Guerra Mundial, quando a Alemanha ocupou a Noruega, o território foi rebatizado por nazistas como Nova Suábia.

 map (1528) of Aegean Sea by  Turkish geographer Piri Reis 

​"Um mapa histórico do mar Egeu, desenhado pelo geógrafo otomano turco Piri Reis"

O professor norte-americano Charles Hapgood foi quem usou o mapa como evidência para provar sua teoria sobre uma Antárctida sem gelo.

No seu livro, Maps of the Ancient Sea Kings (Mapas de reis marítimos antigos) ele afirmou que os Pólos Norte e Sul da Terra tinham mudado à 11.000 anos e que uma civilização antiga, que vivia na Antárctida, desenhou o mapa da costa.

Erich von Daniken, escritor suíço que ficou conhecido na década de 1970 graças ao livro Eram os Deuses Astronautas?, possuía teorias sobre as linhas de Nazca no Peru e sobre extraterrestes terem vivido na Antárctida.

Porém, na opinião de Steven Dutch, da Universidade de Wiskonsin-Green Bay, EUA, toda a teoria da Antárctida sem gelo é falsa e o mapa é incorrecto.

"O mapa mostra a América do Sul oscilando para leste. Levando em consideração que o mapa deixa a desejar no quesito latitude, pode-se ter certeza que a costa não é da Antárctida", escreve.

O professor Dutch afirma que o mapa seja simplesmente incorrecto e especulativo, no que se trata da região do Atlântico Sul, pois navegantes não a exploraram, sendo assim, não possuíam ideia alguma em que direcção continuava a costa no Sul do Brasil.

Ler mais AQUI

domingo, 16 de julho de 2017

Grande OVNI em chamas é captado no céu sobre Los Angeles

Resultado de imagem para Grande OVNI em chamas é captado no céu sobre Los Angeles

Dia 15 de julho, na página oficial do canal de YouTube Alien Hunters foi publicado um vídeo onde, alegadamente, um objecto voador não identificado voa sobre a cidade de Los Angeles.

Quando o operador aumentou o zoom, o objecto com fogo subiu de repente com uma velocidade incrível.

O canal Alien Hunters é um dos canais mais famosos sobre casos de avistamentos de OVNIs ou de alienígenas. Você é quem decide se quer crer ou não!


Ler mais AQUI

sábado, 15 de julho de 2017

Em breve vai ser possível 'ver' outras dimensões do Universo

Universos paralelos (ilustração)

Os pesquisadores do Instituto Max Planck de Física Gravitacional, na Alemanha, descobriram uma forma de detectar as vibrações das ondas gravitacionais de outras dimensões, segundo um artigo publicado na revista especializada Journal of Cosmology and Astroparticle Physics.

O estudo, realizado pelos investigadores Gustavo Lucena Gómez e David Andriot, foi baseado na chamada teoria das ondas gravitacionais, segundo a qual qualquer acontecimento espacial de grande escala, como uma colisão de dois buracos negros, provoca flutuações na gravidade da Terra.

Os autores do estudo também afirmam que no Universo existem várias outras dimensões, que não podem ser detectadas porque são demasiado pequenas. No entanto, graças à capacidade das ondas gravitacionais de capturar flutuações mais fracas, poderemos "ouvir" as mudanças nas outras dimensões através de um potente detector de ondas.

O Observatório de Deteção de Ondas Gravitacionais LIGO (Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory, em inglês), localizado nos EUA, ainda não é capaz de "ouvir" as flutuações destas dimensões invisíveis. Porém, cientistas italianos e franceses estão trabalhando na criação de um novo detector, denominado VIRGO, que poderá fazê-lo. Além disso, está sendo preparada uma missão espacial LISA (Laser Interferometer Space Antenna, em inglês) que permitirá detectar as ondas gravitacionais a partir do espaço.

Ler mais AQUI

ETs se revelam em imagens bíblicas

Bíblia (arquivo)

Uma pintura datada do século XI mostra a presença de alienígenas no passado remoto.

Enquanto hoje em dia os ovnilogos não desistem das tentativas de encontrar alienígenas, estes já foram representados em imagens muitos séculos atrás.

O tabloide britânico The Daily Star informou que um grupo de ovnilogos teria encontrado "provas" da existência de extraterrestres até nas imagens que ilustram cenas da Bíblia.

Segundo o portal, uma dessas "provas" foi encontrada num dos quadros que se encontram na catedral georgiana de Svetitskhoveli. Os ovnilogos afirmam que objectos que voam debaixo das mãos de Jesus são uma evidência de que os alienígenas estavam presentes no momento da crucificação.

Uma outra "revelação" da presença alienígena foi detectada nessa imagem abaixo. Como costumam dizer os "caçadores de OVNIs", a Bíblia está cheia de provas de que os ET's são reais.

Aert de Gelder, Batismo de Jesus, 1971

Ler mais AQUI

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Cientistas revelam qual espécie sobreviverá às catástrofes na Terra (e não é a humana)

Um retrato do hipotético colapso entre um asteroide e a Terra

Tido como inevitável, o fim da vida no planeta Terra costuma gerar muita curiosidade, sobretudo quando se pensa em quais formas de vida conseguiriam, neste futuro inóspito, sobreviver num mundo sem seres humanos.

Uma possível resposta foi dada nesta semana por cientistas da Universidade de Oxford, do Reino Unido. E talvez nunca tenha ouvido falar na espécie favorita a sobreviver em todos os cenários possíveis na Terra.

Num estudo publicado pela revista Scientific Reports, os pesquisadores apontaram que o tardígrado, um microrganismo de oito patas também conhecido como urso d’água que podem viver até 10 biliões de anos, sobrevivendo a temperaturas entre -273,15°C até os 150°C.

The Earth's Last Survivors: the #tardigrade, an eight-legged micro-animal, will survive until the Sun dies: http://po.st/CdebsS

Além disso, tal espécie – ligada ao filo de animais microscópicos segmentados, estes relacionados aos artrópodes – pode sobreviver 30 anos sem se alimentar ou ter acesso à água, seja no mar profundo ou no vazio do espaço sideral.

A pesquisa é baseada no pressuposto de que uma catástrofe global numa escala cósmica ocorra na Terra. Assim, os cientistas têm considerado três cenários possíveis: o impacto de um grande asteroide; a explosão de uma super nova nos arredores do Sol; e uma explosão de raios gama.

No entanto, eles estipularam no trabalho que todos os eventos são improváveis e que a extensão do seu impacto não seria forte o suficiente para, por exemplo, ferver os oceanos do planeta e destruir estes microrganismos.

“Para nossa surpresa, descobrimos que, embora as super novas próximas ou os grandes impactos de asteroides fossem catastróficos para as pessoas, os tardígrados não poderiam ser afectados. Portanto, parece que a vida, uma vez que começa, é difícil de eliminar completamente”, explicou o doutor David Sloan, co-autor da pesquisa e pós-doutorando no Departamento de Física da Universidade de Oxford.

A resistência de um tardígrado também chamou a atenção dos cientistas para como a capacidade de sobrevivência na Terra, que já é surpreendente nos cenários mais inóspitos, poderia ajudar a entender o que existe no espaço – e que a humanidade ainda não conhece.

“Os tardígrados são o mais perto de indestrutíveis na Terra, mas é possível que existam outros exemplos de espécies resistentes em outros lugares do universo. Neste contexto, há um caso real para procurar a vida em Marte e em outras áreas do sistema solar em geral. 

Se tardígrados são espécies mais resistentes da Terra, quem sabe o que mais existe?”, questionou o doutor Rafael Alves Batista, co-autor e pós-doutorando associado de pesquisa no Departamento de Física da Universidade de Oxford.

Ler mais AQUI

Portal extraterrestre? Anéis negros no céu são vistos em vários lugares

Imagem relacionada

As pessoas foram surpreendidas em várias partes do mundo por um fenómeno interessante visto no céu, vários adeptos da teoria da conspiração acreditam que eles podem ser portais de extraterrestres.

O último anel foi visto por cima de Yorkshire, na Grã-Bretanha.

No ano passado, um anel negro foi visto por cima do parque da Disneyland na Califórnia, e em 2015 um anel gigantesco de 100 metros apareceu por cima do Cazaquistão.

Mas um analista revelou que o último anel negro era apenas um subproduto do fogo de canhão na encenação de uma batalha em Yorkshire.

Um "vórtice toroidal" foi visto por cima da estrada M62 perto de Birkenshaw, na área de Yorkshire.

O círculo lembra um anel de fumaça, mas o Serviço de Incêndios de Yorkshire acrescenta que não houve nenhuma informação sobre incêndios naquela altura.

Nick Pope, que tinha investigado Ovnis e outros mistérios para o Ministério da Defesa, também desmascarou o fenómeno.

"O assim chamado vórtice toroidal pode ocorrer quando uma explosão surge através da uma estrutura circular como, por exemplo, uma chaminé", acrescentou ele.

O Escritório de Meteorologia acrescentou que o anel não parece ser um fenómeno meteorológico.


Ler mais AQUI

Quantos asteroides ameaçam Terra com apocalipse em 2017?

Simulação da aproximação de um asteroide.

Os cientistas norte-americanos informaram sobre a aproximação de 887 asteroides perigosos para a Terra. Todos eles vão passar perto do nosso planeta já em 2017.

Os cientistas do Observatório Astrofísico Smithsonian (SAO) analisaram o deslocamento dos corpos celestes e chegaram à conclusão de que 887 asteroides vão passar a uma distância perigosa da Terra.

A probabilidade de colisão com a Terra permanece baixa, mas os cientistas continuam monitorizando a situação no espaço.

Hoje em dia, mais de 16 mil objectos são classificados como potencialmente perigosos para a Terra.

Os asteroides "potencialmente perigosos" são aqueles que vão passar a uma distância que não ultrapasse a distância da Terra à Lua em mais de 20 vezes.

Recentemente, os especialistas russos acrescentaram que é necessário criar e colocar sistemas de detecção e alerta no espaço para minimizar as consequências de uma possível queda de asteroides sobre a Terra.

Mais tarde, os cientistas da agência aeroespacial NASA anunciaram para breve os testes de uma nova tecnologia de defesa contra os asteroides.

Ler mais AQUI

Ameaça espacial está a caminhar em nossa direcção

A impressão dum artista do asteróide que matou os dinossauros

Cientistas da Universidade do Arizona advertem sobre novo perigo – que vem do espaço e que ameaça a futuro do nosso planeta.

Trata-se de um planeta desconhecido que está a caminho da Terra; o impacto entre os dois pode provocar consequências catastróficas.

Uma equipe de cientistas da Universidade do Arizona, chefiada pela pesquisadora Kat Volk, descobriu que a órbita deste corpo celeste do tamanho de Marte se encontra no cinturão de Kuiper e tem inclinação de oito graus.

À medida que estes objectos tomam se dirigem à Terra, atravessando o cinturão de Kuiper, sua força de gravitação pode atrair asteroides e cometas que circulam a estrela.

Vários teóricos de conspiração consideram que este planeta possa vir a atravessar o Sistema Solar, sendo, assim, responsável por "todo tipo de caos", informa o jornal britânico Express.

Num vídeo publicado no YouTube, um dos teóricos alerta que este planeta se aproximará da Terra a uma distância perigosíssima, o que "causará devastação e pânico".

Ao descobrir este corpo celeste em junho, Kat Volk, declarou que os resultados do seu estudo levaram à conclusão de que se tratava de uma massa jamais vista anteriormente.

"Segundo nossos cálculos, algo enorme do tamanho de Marte teria sido necessário para causar deformações que medimos", explicou a cientista, citada pelo portal Space.com.


Ler mais AQUI
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...