quinta-feira, 26 de abril de 2018

Enorme mancha aparece no Sol: que trará para humanidade?

Imagem do Sol da missão espacial STEREO

Actualmente, uma das regiões activas mais lindas e grandes do Sol pode ser apreciada perto do centro do disco solar.

"As regiões activas solares formam-se ao redor de manchas solares e representam sistemas de enormes laços magnéticos, cheios de plasma quente, que se estendem até várias centenas de milhares de quilómetros. Tamanho desses sistemas frequentemente supera a distância entre Terra e Lua", diz o comunicado do Laboratório de Astronomia de Raio X do Sol, atribuído ao Instituto Físico Lebedev da Academia de Ciências da Rússia.

A radiação produzida pelas regiões solares activas é completamente absorbida pela atmosfera terrestre. Portanto, é impossível observá-las desde nosso planeta. No melhor dos casos é possível notar manchas solares que as rodeiam. No entanto, as imagens obtidas desde o espaço permitem apreciar essas regiões activas em todos os detalhes. O observatório solar da NASA conseguiu enviar para a Terra algumas imagens desse fenómeno em alta resolução.

"As regiões em questão chamam-se activas, pois frequentemente se tornam centros de fortes erupções solares. Isso está ligado à tensão elevada do campo magnético que contribui para surgimento de poderosas correntes eléctricas: são elas que causam as erupções", explicam os astrónomos.

Ao mesmo tempo, existe outro tipo de sistemas. Chamam-se "potenciais" porque uma enorme quantidade de energia está bloqueada dentro por leis físicas insuperáveis, sem oportunidade de sair.

AR_blossoming171.jpg
Região activa 
​"As regiões observadas hoje pertencem exactamente a este tipo. Apesar de serem grandes em tamanho e em energia, não houve nenhuma erupção vários dias de existência", destacam.

"Se nos próximos dias não acontecer nenhum evento causador da mudança de configuração magnética e interruptor do "estado potencial", neste caso a região, ao girar junto com o Sol, desaparecerá atrás do horizonte, sem afectar a Terra", concluem cientistas russos.

Fonte: Sputnik News

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...