sexta-feira, 24 de abril de 2020

Lançado o primeiro mapa completo da superfície da Lua


Vamos falar da Lua, do que se conhece e, sobretudo, do muito que se desconhece. Assim, por significar uma incógnita gigante, a verdade é que o nosso satélite natural, por estar tão perto, mas tão longe, fascina muitas pessoas. Há cada vez mais uma curiosidade, à medida que vamos conhecendo mais detalhes da sua existência. Com a idade, estipulada, em cerca de 4,5 mil milhões de anos, ainda falta explorar muito deste corpo celeste que nos faz companhia.

Pela primeira vez, toda a superfície lunar foi completamente mapeada e classificada por cientistas e está disponível online.

Mapa reflete milhões de anos da Lua

Em conjunto com a NASA e o Lunar Planetary Institute, cientistas do Astrogeology Science Center – USGS elaboraram um mapa há muito desejado. O Unified Geologic Map of the Moon é um mapa digital que mostra a geologia da Lua em detalhe, numa escala de 1 para 5 000 000.

O projeto vai servir como plano definitivo da geologia da superfície lunar para futuras missões humanas. Este novo mapa é capaz de explicar os cerca de 4,5 mil milhões de anos de história do nosso astro vizinho, tendo um valor inestimável para a comunidade científica e para o público em geral.

As pessoas sempre foram fascinadas pela Lua e sobre quando voltaremos. Então, é maravilhoso ver a USGS a criar um recurso que pode ajudar a NASA no planeamento de futuras missões.

Disse Jim Reilly, diretor do USGS e ex-astronauta da NASA.


Projeto foi o culminar de várias décadas de investigação

A fim de criar este novo mapa digital, os cientistas usaram informação de seis mapas regionais da era Apollo e informações mais recentes de missões de satélite até à Lua. Assim sendo, os mapas históricos foram alinhados com os dados modernos, de modo a preservar observações e interpretações anteriores.

Além disso, os cientistas desenvolveram uma descrição das camadas rochosas da Lua. Ao contrário do que acontecia antes, desta forma, garantem que os nomes, descrições e idades das rochas são consistentes.

Este mapa é o culminar de um longo projeto de décadas. Fornece informações vitais para novos estudos científicos, por conectar a exploração de partes específicas da Lua com o resto da superfície lunar.

Revela Corey Fortezoo, geólogo do USGS.

Dados recolhidos pela NASA e pela JAXA

Os dados que dão conta da região equatorial da Lua foram recolhidos pela Terrain Camera, através de observações de rádio, numa missão recente do SELENE (Selenological and Engineering Explorer). Esta missão foi liderada pela JAXA, Japan Aerospace Exploration Agency.

No caso, os dados relativos aos polos norte e sul do satélite, foram recolhidos pela Lunar Orbiter Laser Altimeter, da NASA.


Fonte: Pplware

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...